Featured, VIDEOS

BIBLIA

ESPECIALMENTE PARA OS LEITORES UMA SERIE DE VIDEOS SOBRE A BIBLIA A PALAVRA DE DEUS[...]

Featured, Uncategorized

SERIE DE 9 VIDEOS

DOCUMENTARIO SOBRE O TEMPO DO FIM SERIE DE 9 VIDEOS MUITO INTERESSANTE VALE A PENA CONFERIR[...]

Bactéria mortal se espalha entre gays nos EUA,

A variante de uma bactéria que pode levar à morte estaria se espalhando rapidamente entre a comunidade gay das cidades de São Francisco e Boston, nos Estados Unidos

De acordo com um estudo publicado na revista especializada Annals of Internal Medicine, a nova forma da bactéria MRSA, conhecida como MRSA USA300 é altamente resistente a medicamentos e é transmitida por meio de sexo anal, pelo contato da pele ou com superfícies contaminadas.

Os especialistas fizeram um levantamento da incidência da doença em diferentes áreas das cidades de São Francisco e Boston com base em registros hospitalares, mas não informaram o número exato de contaminados até agora.

A equipe de pesquisadores descobriu que no distrito de Castro, em São Francisco, - que teria uma das maiores concentrações de homossexuais dos Estados Unidos - um em cada 588 residentes estaria infectado com a bactéria. Em outras áreas da cidade, essa proporção seria de um para cada 3.800.

Uma outra parte do estudo ainda indicou que os homossexuais moradores de São Francisco teriam 13 vezes mais chances de contrair a doença do que outros residentes da cidade.

Necrose

A infecção pode causar úlceras na pele, necrose dos tecidos, atacar órgãos como pulmão e o coração e se espalhar facilmente pela corrente sangüínea.

Entre a comunidade gay, a doença teria se proliferado pelo contato da pele, causando abscessos e infecções nas nádegas e nos órgãos genitais.

Os especialistas aconselham esfregar o corpo com água e sabão após as relações sexuais para evitar que a bactéria se espalhe.

De acordo com o jornal americano The New York Times, 19 mil pessoas morreram nos EUA em 2005 em decorrênica de doenças causadas pela MRSA (Estafilococos Aureus resistente à meticilina, MRSA, na sigla em inglês).

No passado, a bactéria era comum apenas em infecções hospitalares, mas recentemente também tem sido contraída por pessoas saudáveis fora dos hospitais.

Além de ser resistente à meticilina, a MRSA USA300 também não é facilmente combatida por outros antibióticos utilizados para tratar outras variantes da bactéria.

Os especialistas advertem que a menos que laboratórios de microbiologia identifiquem o tratamento adequado para nova bactéria, “a infecção poderá se espalhar rapidamente e se tornar uma ameaça nacional”.

Depois da repercussão do estudo, inicialmente noticiado no dia 15 de janeiro, o centro do governo americano para Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), divulgou um comunicado no qual enfatiza que os homens homossexuais nos quais a nova versão da bactéria foi encontrada não eram representativos de toda a comunidade homossexual.

"Não podem ser tiradas conclusões de que essas bactérias prevalecem entre todos os homens que fazem sexo com homens", diz o comunicado do CDC, que ajudou a financiar os estudos sobre a bactéria.

"Os grupos estudados neste relatório podem ter outras características ou comportamentos que facilitam a disseminação da MRSA, como, por exemplo, contato de pele."



NOTÍCI

FONTE

BBC BRASIL http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2008/01/080115_bacteriagay_fp.shtml

Casos de H1N1 na Argentina passam de mil


O Ministério da Saúde da Argentina confirmou 1.118 casos de influenza A (H1N1). O país registra ainda o maior número de mortes provocadas pela doença na América do Sul – sete, até o momento. Até domingo, a Organização Mundial da Sáude (OMS) confirmava 918 casos no país. De acordo com o último boletim divulgado pelo governo argentino, 1.092 amostras de pacientes sob suspeita estão sendo analisadas em laboratórios. A maior parte dos infectados (30,3%) é de crianças com idade entre 5 e 9 anos. Em seguida, estão adolescentes entre 10 e 14 anos (23,9%) e entre 15 e 19 anos (9,3%).

OMS registra quase 36 mil casos de gripe suína em 76 países

Ao menos 35.928 pessoas, de 76 países, já contraíram gripe suína --como é chamada a gripe A (H1N1)--, segundo balanço divulgado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) nesta segunda-feira. Em 163 casos, os pacientes morreram.

Na última quinta-feira (11), a organização anunciou que a doença atingiu o nível de pandemia (epidemia generalizada). O termo tem relação apenas com a ampla distribuição geográfica da gripe suína, considerada uma doença "moderada".

A decisão de passar do nível 5 para o atual nível 6, o máximo na escala de alerta de pandemias, foi tomada depois que o número de casos aumentou nos Estados Unidos, na Europa, na América do Sul e em outras regiões.

Os EUA continuam sendo o país com o maior número de casos --17.855, com 45 mortes. No país, o número de infectados não para de crescer. Desde o último balanço, divulgado na sexta-feira (12), foram registrados 4.638 novos casos e 18 mortes.

No México, considerado o epicentro da gripe suína, não houve novos contágios nos últimos dois dias. O país já registrou 6.241 casos e 108 mortes.

No Canadá, 2.978 casos foram confirmados; quatro pessoas morreram. A Austrália registrou 221 novos casos nos últimos dois dias, elevando o total de infectados para 1.823. Ambos os países não registraram mortes causadas pela gripe suína.

O Chile, onde duas pessoas morreram por causa da doença, confirmou até agora 1.694 casos. No Reino Unido houve 404 confirmações desde sexta-feira. O total de infectados no país chegou a 1.226.

Costa Rica, República Dominicana, Guatemala e Colômbia relataram, cada um, uma morte causada pela gripe suína.

No Brasil, o Ministério da Saúde informou neste domingo que foram confirmados 11 novos casos. O Brasil soma 54 casos da nova gripe, segundo a OMS. O governo, contudo, já registra 69 casos da doença.

Os demais países com casos de gripe suína são Japão (605), Espanha (488), Argentina (343), China (318), Panamá (272), Alemanha (170), Guatemala (119), Israel (117), costa Rica (104), el Salvador (95), República Dominicana (93), Peru (91), Honduras (89), Nova Zelândia (86), Equador (80), França (80), Filipinas (77), Itália (67), Coreia do Sul (65), Holanda (61), Nicarágua (56), Cingapura (47), Colômbia (42), Uruguai (36), Suécia (32), Tailândia (29), Paraguai (25), Venezuela (25), Vietnã (25), Suíça (22), Grécia (19), Egito (18), Kuait (18), Bélgica (17), Índia (16), Noruega (13), Romênia (13), Dinamarca (12), Irlanda (12), Jamaica (11), Arábia Saudita (11), Turquia (10), Líbano (8), Áustria (7), Bolívia (7), Polônia (7), Cuba (6), Malásia (5), Trinidad e Tobago (5), República Tcheca (4), Estônia (4), Finlândia (4), Hungria (4), Islândia (4), Barbados (3), Portugal (3), Eslováquia (3), Bulgária (2), Ilhas Cayman (2), Cisjordânia e faixa de Gaza (2), Bahamas (1), Bahrein (1), Chipre (1), Dominica (1), Marrocos (1), Ucrânia (1), Emirados Árabes (1).

Vacina

O laboratório Novartis afirmou nesta segunda-feira que rejeitará o pedido da OMS (Organização Mundial de Saúde) e não vai distribuir gratuitamente aos países mais pobres a vacina que produziu para combater a gripe suína, denominada oficialmente gripe A (H1N1). A nova gripe levou a organização a declarar pandemia na quinta-feira passada (11) com 29.669 casos confirmados, incluindo 145 mortes.

A declaração foi feita por Daniel Vasella, conselheiro do laboratório, ao jornal 'Financial Times'. Segundo Vasella, o grupo suíço poderia estudar a possibilidade de reduzir o custo das vacinas para estes países, mas não está disposto a entregar o remédio sem custo algum.

As palavras do empresário suíço supõe a rejeição, segundo o jornal, do pedido da diretora-geral da OMS, Margaret Chan, que pediu solidariedade das empresas farmacêuticas ao anunciar que a gripe havia atingido caráter de pandemia.

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos).

Com Efe e France Press

fonte http://www1.folha.uol.com.br/folha/mundo/ult94u581180.shtml

Japão proíbe exportações à Coreia do Norte

País aprova novas restrições no trânsito de pessoas.
Medidas são respostas ao último teste nuclear norte-coreano

O Japão aprovou nesta terça-feira (16) sanções adicionais à Coreia do Norte, em resposta a seu teste nuclear do mês passado, que incluem a proibição total das exportações e novas restrições no trânsito de pessoas, informou a agência "Kyodo".


As importações procedentes da Coreia do Norte já tinham sido proibidas em 2006 pelo governo japonês, após o primeiro teste nuclear do regime comunista, por isso a nova medida levará à suspensão total do comércio bilateral.

O Japão aprovou nesta terça-feira (16) sanções adicionais à Coreia do Norte, em resposta a seu teste nuclear do mês passado, que incluem a proibição total das exportações e novas restrições no trânsito de pessoas, informou a agência "Kyodo".


As importações procedentes da Coreia do Norte já tinham sido proibidas em 2006 pelo governo japonês, após o primeiro teste nuclear do regime comunista, por isso a nova medida levará à suspensão total do comércio bilateral.


Além disso, as novas medidas aprovadas pelo Executivo japonês não permitirão que estrangeiros que vivem no Japão possam voltar a entrar ao país se violarem as restrições comerciais ou de capital que já existem contra a Coreia do Norte.


O governo japonês adota assim o pedido do Conselho de Segurança das Nações Unidas para que os países imponham novas sanções à Coreia do Norte, aprovadas na semana passada na resolução 1874, motivada pelo segundo teste nuclear do regime comunista, em 25 de maio.


As medidas adicionais aprovadas nesta terça têm como objetivo a eliminação das exportações à Coreia do Norte, que em 2008 somaram apenas 800 milhões de ienes (6 milhões de euros), segundo o governo japonês.


O porta-voz do governo japonês, Takeo Kawamura, disse ainda que seu país espera que a Coreia do Norte "se esforce para resolver o problema dos cidadãos japoneses sequestrados (pelo regime de Pyongyang) e o tema nuclear e de mísseis, se quiser avançar rumo à normalização de relações diplomáticas".

Parada gay é marcada por brigas e furtos em SP


Mesmo com um número menor de participantes, a 13ª edição da Parada do Orgulho Gay, na Avenida Paulista, foi marcada neste domingo por brigas, confusões, empurra-empurra, desmaios e dezenas de furtos. Por causa disso, a Polícia Militar deve sugerir aos organizadores mudanças para o próximo ano.

Segundo o coronel Marcos Chaves, comandante do policiamento na região central, "o grande número de pessoas nos dá a impressão de que a Paulista está pequena para esse evento", disse. Apesar disso, negou que vá sugerir uma transferência. "Isso não cabe a mim, mas à comissão organizadora."

Para tentar melhorar a segurança para as próximas edições, o coronel vai elaborar amanhã um relatório, solicitando a diminuição da área reservada embaixo do Museu de Arte de São Paulo (Masp). Outra recomendação será prolongar as áreas restritas ao estacionamento de veículos para dois quarteirões além da avenida. Este ano, a proibição atingia um quarteirão antes do evento.

A principal confusão ocorreu às 14h30, na frente do Masp, quando o erro de um motorista de ambulância, que pegou a mão errada, causou tumulto. Para dar passagem à ambulância, as pessoas se deslocaram na direção do museu, se espremendo ao lado das barreiras metálicas que isolavam a área.

Até as 16 horas foram registradas 60 ocorrências médicas, a maior parte envolvendo jovens de 16 ou 17 anos, por consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Segundo a Guarda Civil Metropolitana, que montou operação especial com 350 homens para coibir a venda, o total de garrafas apreendidas lotou quatro caçambas.

Segundo os organizadores, mesmo sem um balanço fechado, também foi possível verificar aumento no número de brigas durante a Parada. A maior briga ocorreu também nas proximidades do Masp e envolveu cinco pessoas. Ao menos três foram esfaqueadas e encaminhadas para a Santa Casa.

No 4º DP, a maioria dos boletins de ocorrência registrados era de furtos de carteiras, celulares e câmeras digitais. Em todos os casos, o furto acontecia após empurra-empurra.

OBAMA GANHA SUA VERSAO EM FORMA DE ESTATUA


Caminhão carrega escultura do presidente dos EUA Barack Obama; a obra, criada pelo artista David Adickes, vai ser transportada para o Parque dos Presidentes, na Dakota do Sul

O escultor David Adickes trabalha em sua escultura do presidente dos EUA, Barack Obama, nesta terça-feira (2), em seu estúdio em Houston, no Texas. O busto de concreto e aço, que terá 5,4 metros de altura quando pronto, vai ser instalado no Parque dos Presidentes, no estado de Dakota do Sul, onde se juntará a estátuas dos outros 43 presidentes americanos. (Foto: AP)


Estrangeiros protestam no Japão contra novo projeto que prevê alterações na lei de imigração

A crise econômica deixou bem evidente a situação dos residentes estrangeiros em diversas partes do mundo. E a situação no Japão mostra que não há tantas distinções entre o que anda ocorrendo com trabalhadores imigrantes recrutados para trabalhos qualificados e seus companheiros que arregaçam as mangas naquilo que os nativos não estão afim de fazer.

O Japão ainda tem uma população estrangeira relativamente pequena. São cerca de 2 milhões de gaijin que fazem parte de uma população de quase 128 milhões de habitantes. Tem gente de toda parte do mundo, fazendo os mais diversos trabalhos. Nosso compatriotas, por exemplo, estão, em sua maioria, atuando no setor secundário. Estima-se que pelo menos metade deles encontra-se desempregado no momento. Há ainda os trabalhadores especializados, boa parte deles ex-estudantes que acabaram ficando no Japão, dada a falta de boas oportunidades no mercado de trabalho brasileiro.

Há tempos o país vem se preocupando com o aumento do número de estrangeiros. É uma necessidade real. O país está envelhecendo rapidamente. Mão-de-obra é escassa em quase todos os setores da economia. Por outro lado, o Japão ainda se pensa como uma nação homogênea. Mas, não é necessário muito esforço para ver que diferenças regionais são fortes e as minorias estão cada vez mais visíveis. Por isso, o governo está propondo mudanças na Lei que rege a presença de imigrantes no país.

Entre as mudanças estão a criação de um cartão de identidade com um chip que conteria inúmeras informações pessoais do estrangeiro. O que está causando mais furor é o fato de que esse chip pode ser lido remotamente e suas informações acabarem caindo em mãos erradas. Além disso, há a possibilidade de monitoramento, o que não agrada a ninguém.

Outra mudança que gerou opiniões contrárias está relacionada com as multas para quem não mantiver suas informações pessoais em dia. A cada vez que mudamos de endereço, status de permanência e estado civil, devemos comunicar à prefeitura. Até o momento, não havia sanções para quem não fizesse essa comunicação. Porém, o novo projeto prevê multas de até 200 mil ienes (quase 4300 reais) para os esquecidinhos. (Atualização: o jornal Japan Times informa que essa multa existe atualmente.) Somos, ainda, obrigados a andar com documento de identificação, algo que não é requerido aos cidadãos japoneses. Quem esquecer o cartão de identificação em casa poderá até ser preso, de acordo com o novo projeto! Além disso, o projeto do governo prevê a cassação do visto para quem ficar desempregado por mais de três meses, por exemplo.

Apesar de fortes, as mudanças estão gerando reações tímidas por parte dos estrangeiros que vivem aqui. Na verdade, o projeto já está no Congresso, o que pegou muita gente de surpresa. Grupos de japoneses e estrangeiros que se opõem à medida organizaram passeata no centro de Tóquio, neste domingo. Eu e meu amigão e, agora, parceiro Menandro Barreto Gomes registramos a passeata e produzimos esse vídeo. Não podemos deixar, ainda, de agradecer a colaboração da Pamela Hata (autora das duas fotos deste post), nas entrevistas que fizemos em japonês. Também queremos agradecer a força dada pela amiga Gülüzar Tuna.

Organização Mundial de Saúde declara pandemia da nova gripe


A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou nesta quinta-feira (11) que a nova gripe A (H1N1) encontra-se em situação de pandemia, declarou um oficial norte-americano. O comitê de emergência da OMS se reuniu por teleconferência e decidiu aumentar o nível de alerta para o mais alto, da fase 5 para a 6, o que significa que o vírus está provocando a primeira epidemia global de gripe em 41 anos.
A decisão foi motivada pelo aumento dos casos de infecção pelo vírus nos EUA, Europa, Austrália, América do Sul e em outros lugares. Mais cedo, o governo da Suécia já havia informado a imprensa da decisão da OMS.

"Neste estágio inicial, a pandemia pode ser caracterizada como sendo moderada em sua severidade" diz o comunicado enviado aos seus membros, em que a OMS informou que o nível de alerta para a gripe suína foi elevado da fase 5 para 6, o topo da escala, já que há um surto global do vírus. A organização pediu que as nações não fechem suas fronteiras nem restrinjam viagens e comércio. "Continuamos em diálogo com os produtores de vacina contra gripe", disse.



A fase seis, que se traduz em que uma epidemia global está em andamento, significa que já há focos que se contagiam em nível comunitário em pelo menos outro país de uma região da OMS diferente da primeira na qual foi detectado, no caso, o vírus A(H1N1).



Até agora, um total de 27.737casos foram comunicados à OMS por parte de 74 países, com 141 mortes. O país que lidera a lista de atingidos é os Estados Unidos, com 13 mil casos; seguido pelo México - onde houve os primeiros casos -, com cerca de 6 mil; o Canadá, com mais de 2 mil; e a Austrália, que já superou mil casos. Os outros Estados com maior número de casos são Espanha, Japão, Reino Unido e Chile.




Vírus



Na quarta-feira (10), a diretora-geral da OMS, Margaret Chan conversou com os ministros de saúde dos países mais afetados pelo vírus. Segundo a porta-voz da OMS, Fadela Chaib, Chan consultou "os ministros dos sete ou oito países mais afetados".

A OMS havia reconhecido nesta semana que a declaração de uma pandemia era iminente, e disse que ainda não havia ocorrido porque era preciso preparar o mundo para que entenda esse passo corretamente.

"O vírus continua se estendendo pelo mundo, e a atividade do mesmo está aumentando em diferentes países. Estamos cada vez mais perto de uma situação pandêmica, mas a OMS está trabalhando duro para preparar os países e as pessoas", disse o diretor-geral adjunto, Keiji Fukuda.



"Queremos que seja muito bem entendida a mensagem se declaramos a fase 6 de pandemia, isso significa que o vírus se estende e que há contágios estáveis em comunidades em países de várias regiões", assinalou Fukuda.



Porém ele esclareceu que "isso não significa que o vírus tenha se tornado mais grave, que a doença seja mais séria e que a taxa de mortalidade tenha aumentado".

Moeda da Nova Ordem Mundial: 2009 primeiros círculos da edição limitada 5000 gravadas em relevo

As fontes são limitadas e o produto não pode estar disponível em todas as áreas. Assunto da fixação do preço a mudar a qualquer hora de acordo com condições do mercado de lingote de prata.

Alan Greenspan:
“Na ausência da bandeira de ouro, não há nenhuma maneira de proteger economias da confiscação com a inflação. … Este é o segredo gasto dos discursos inflamados dos statists do bem-estar de encontro ao ouro. A despesa de deficit é simplesmente um esquema para a confiscação da riqueza. O ouro está na maneira deste processo insidioso. Está como um protetor dos direitos de propriedade. Se um agarra este, um não tem nenhuma dificuldade em compreender o antagonismo dos statists para a bandeira de ouro.

moeda24James Madison:
De “registros história que os cambiadores de dinheiro usaram cada formulário do abuso, da intriga, do engano, e dos meios violentos possíveis manter seu controle sobre os governos controlando o dinheiro e sua emissão.

Abraham Lincoln:
“Eu ver em um futuro próximo uma aproximação da crise que me debilite e faça com que eu trema para a segurança de meu país; os corporaçõs enthroned, uma era da corrupção em lugares elevados seguirá, e o poder do dinheiro do país esforçar-se-á prolongar seu reino trabalhando em cima dos preconceitos dos povos, até que a riqueza esteja agregada em algumas mãos, e a república estiver destruída. Eu sinto neste momento mais ansiedade para a segurança de meu país do que nunca antes, mesmo no meio da guerra.

moeda32James Paul Warburg:
“Nós teremos o governo do mundo, mesmo se nós gostamos d. A única pergunta é se o governo do mundo estará conseguido pela conquista ou pelo consentimento.

Barry Goldwater:
“A maioria de americanos não têm nenhuma compreensão real da operação dos emprestadores de dinheiro internacionais. Os clientes do sistema de reserva federal nunca foram examinados. Opera-se fora do controle do congresso e manipula-se o crédito dos Estados Unidos.

..

moeda42G.D. McDaniel:
“Se, enquanto aparece, a experiência que estêve chamada “América está em uma extremidade… então talvez um epitáfio apropriado seria… ‘encontra-se aqui América a grande nação que pôde ter sido sem os banqueiros de Edomite que roubaram primeiramente seu dinheiro, se ter usado seu dinheiro roubado para comprar seus políticos e imprensa e última lhes ter privado de sua liberdade constitucional pelo dispositivo o mais mau contudo ter criado — O sistema bancário da reserva federal.

Louis McFadden:
“Reserve Bank federal de New York está ansioso para participar na relação estreita com o banco para estabelecimentos internacionais…. A conclusão é impossível de escapar que o estado e os departamentos da Tesouraria são dispostos associar o sistema bancário de Europa e de América, setting-upum independente financeiro do poder do mundo e acima do governo dos Estados Unidos. Os Estados Unidos sob as circunstâncias atuais serãotransformados mais do active de nações da fabricação em uma nação do consumo e de importação com um contrapeso de comércio de encontro a eles.

A Prata é melhor investimento do que o ouro

A Prata vai apresentar uma performance melhor do que o ouro nos próximos anos devido a várias razões, algumas delas são:

Déficit
O consumo industrial e procura total de Prata excede a oferta das minas, o défice é proporcionalmente superior para a Prata do que para o ouro.

Escassez
A falta física de Prata deve-se às décadas de consumo industrial. Hoje em dia há menos Prata no mundo do que ouro. Mais de 90% do ouro produzido desde há mais de 5.000 anos encontra-se ainda sobre a face da terra, a Prata foi consumida.

Necessidade para a indústria
A indústria necessita de Prata, para poder fabricar os produtos que a utilizam.

Rácio histórico
O rácio histórico é de 16 onças de Prata por 1 onça de ouro em termos de preço. Encontra-se agora nos 60 por 1, ou seja, muito baixo em termos do valor da Prata.

Posições curtas
As posições curtas no mercado de derivados em Prata são astronomicamente grandes, muito maiores do que para o ouro, dado a Prata disponivel e a oferta. Estes futuros terão eventualmente de ser fechados, o que levará a subidas do preço.

Inelasticidade da oferta
Ao contrário do ouro, poucos mineiros produzem prata como metal primário. A maioria da prata é produzida como produto paralelo na minagem do ouro, cobre, niquel e zinco.

Preço
O preço da Prata é inferior ao do ouro o que significa que há mais pessoas que podem aceder à Prata como investimento.

Referências:

[1]Bons Investimentos

[2]Nova Ordem Mundial

Nova Ordem Mundial: Será a prata o novo sistema de moeda?


Os metais preciosos representam a única moeda segura durante períodos de instabilidade nos mercados e oferecem uma solução segura como investimento.

O investimento em metais preciosos está começando a chamar à atenção. Está se tornando reconhecido como um investimento alternativo ao nível de outras categorias, ajudando na diversificação dos portfólios.

O preço das ações das empresas de mineiração do ouro e da prata, tem aumentado consecutivamente nos últimos três anos.[1]

Os principais motivos por detrás desta subida são o estimulo monetário por parte dos bancos centrais que imprimem cada vez mais dinheiro com maior velocidade, a falta de oferta, a maioria dos grandes depositos de metais estão já a ser explorados e escasseiam novas descobertas e o excesso de procura, que é superior á oferta disponivel. O preço futuro de qualquer produto, neste caso os metais preciosos é em último caso afectado por um só factor dominante – a sua procura física ou sua oferta fisica. Como ensina a teoria económica, se a procura excede a oferta os preços sobem.

Há mais de uma década que o ouro e a prata têm apresentado déficits na oferta. Estes déficits têm sido compensados pelas vendas das reservas de ouro por parte dos Bancos Centrais, que impediram uma asfixa da oferta. A grande maioria dos governos ocidentais consideraram o ouro um producto de baixa rentabilidade e têm estado a desfazer-se das suas reservas ao longo da última década. Sem esta oferta, há muito que os preços haveriam subido. Os cofres dos bancos centrais estão agora meio vazios. No caso da prata, não houve um ano nos últimos 25 anos em que a produção das minas fosse capaz de satisfazer a procura. No início da segunda GGM, só os Estados Unidos tinham uma reserva de cerca de 25 onças por homem, mulher e criança. Essas reservas de prata praticamente desapareceram hoje. A maioria das reservas de prata de fácil acesso acima do solo, foram consumidas durante os últimos 50 anos. O mercado da prata está muito dependente da oferta secundária que vem principalmente de filme ou fotografia reciclada.

As ações do ouro e da prata, alavancando os ganhos dos metais, têm proporcionado enormes retornos aos seus investidores.

Para entender melhor a alavancagem do preço dos metais sobre as acções mineiras de ouro e prata, vejamos um caso prático. Por exemplo a empresa imaginária OuroDourado produz ouro com um custo de $300, se o preço do ouro for de $330, a empresa tem um lucro de $30. Suponhamos que o preço do ouro sobe para os $380, mantendo-se o custo constante, a OuroDourado passa a ganhar $80 por onça. Ou seja um aumento do preço do ouro de aproximadamente 15%, leva a que os lucros da OuroDourado tenham um acréscimo de 166.7%.

Grandes investidores acumulam Prata

Quem se está a posicionar neste metal é um conjunto de investidores de altíssimo perfil internacional com reputações de estrelas topo, que fizeram fortunas por estarem à frente da multidão, por serem astutos e por detectarem oportunidades, apostarem forte e ganharem.

Desde há poucos anos, aproveitando os preços nominais mais baixos das duas ultimas décadas e meia, e os preços ajustados à inflação mais baixos em quase 100 anos, Warren Buffet, George Soros (e seu irmão Paul), Bill Gates, Tish e outros grandes investidores -incluindo alguns sheiks de petróleo do Médio Oriente – têm silenciosamente acumulado posições na prata ou em ações de empresas de mineiração de prata. Eles têm estado a comprar porque reconhecem a enorme subvalorização da prata e o seu potencial.

Em 1997 Warren Buffet silenciosamente acumulou o que se acreditava na altura ser um terço das reservas disponíveis de prata acima do solo, comprando 130 milhões de onças por cerca de $650 milhões. Quando as aquisições foram conhecidas publicamente em Fevereiro de 1998, o preço da prata deu um salto temporário de 25%.

Os depósitos de ouro e prata descobertos durante a última década não chegam para cobrir a substituição futura de reservas para as grandes empresas mineiras. Há muito poucos depósitos destes metais que estejam em produção, em fase de avaliação ou mesmo em exploração. Mesmo que o preço do ouro e da prata subam de uma maneira dramática, para que iniciar produção em novas minas são necessários entre 5 e 7 anos. É preciso ter em conta que as minas são muito intensivas em custos e energia. As empresas mineiras não vão reagir com rapidez a um aumento súbito do preço, nem o poderiam fazer mesmo que quisessem. Este é um factor muito positivo.

Outro aspecto importante para entender como é que a situação de défice da oferta em relação à procura se mantém há mais de uma década e o preço do ouro e da prata não dispararam, é necessário conhecer o seu outro mercado.

Para além do mercado físico destes metais há ainda outro, o mercado de futuros, que é o mercado mais liquido (como para todas as mercadorias). Pode-se entrar e sair de um contrato de futuros em segundos. Isto dá liquidez ao mercado.

O mercado de ouro e prata é controlado pelas quantidades de contratos de futuros vendidos na Bolsa de Futuros. Esta condição não poderá manter-se para sempre, porque de ano para ano a disponibilidade fisica de prata diminui. Em algum momento este facto vai ser reconhecido pelo mercado e o preço irá subir substancialmente.

Crise Mundial: Rússia sugere plano próprio para mudar ordem mundial


A Rússia revelou planos específicos e radicais hoje para uma extensa reforma financeira global com intuito de enfraquecer a dominância dos EUA e colocar a ordem econômica mundial “obsoleta” no passado.

Em um documento de seis páginas direcionado para o encontro do G-20 em Londres, o Kremlin disse que a desaceleração econômica global foi resultado do “colapso do sistema financeiro existente” devido à fraca gestão e insuficiência básica.

A crise atual “demonstrou a necessidade de abandonar as abordagens tradicionais e adotar decisões combinadas coletiva e internacionalmente que visam essencialmente desenvolver um sistema de gestão do processo de globalização”, afirmou o governo russo.

O documento detalha cinco princípios nos quais “uma nova arquitetura financeira internacional” deve ser baseada e oferece propostas concretas em oito áreas específicas para o G-20 considerar. Essas oito áreas incluem reforma do sistema financeiro e monetário internacional, reforma das instituições do sistema e estreitamento da regulação financeira e da supervisão financeira.

O Kremlin afirmou que o encontro do G-20 em Londres, no dia 2 de abril, deve concordar com “parâmetros” de um novo sistema financeiro global, mas deve ser seguido de uma conferência internacional para adotar convenções sobre as novas regulações financeiras globais. O G-20 reúne as sete economias mais industrializadas do mundo e os chamados países emergentes.

“O sistema de tomar decisões coletivas só pode se tornar eficiente quando for legitimado e representar os interesses de uma faixa ampla de participantes”, disse o Kremlin. E acrescentou: “A ordem econômica unipolar obsoleta deve ser substituída por um sistema baseado na interação de vários grandes centros.”

Embora o documento russo demonstre apoio a algumas das propostas discutidas no último sábado pelos ministros das Finanças do G-20, como por exemplo aumentar o financiamento do Fundo Monetário Internacional (FMI), algumas ideias quase que certamente vão incomodar os EUA.

“Maior transparência dos países que emitem moedas usadas em reservas quando conduzirem suas políticas monetárias é de fundamental importância”, disse o Kremlin, referindo-se ao que muitos veem como uma questão de soberania nacional.

O documento, sem explicitamente citar os EUA, chama atenção para empresas e instituições que são nominalmente nacionais, mas na prática têm influência direta e diária nas pessoas no mundo todo. Ele também pede um acordo internacional sobre regras globais para regulação do setor financeiro, ou uma “Estrutura de Regulação Universal Padrão”.

O Kremlin disse ser “crucial” expandir o número de países representados no Fórum de Estabilidade Financeira, um grupo baseado na Suíça criado pelo G-7 para promover a estabilidade financeira internacional. As informações são da Dow Jones.

Fonte: Portal G1

Mundo: Pentágono admite erro em ataque no Afeganistão


O Departamento de Defesa dos Estados Unidos admitiu nesta segunda-feira que as tropas americanas não seguiram as táticas e procedimentos apropriados durante um ataque aéreo contra talibãs no Afeganistão, no mês passado.

A ação do dia 4 de maio causou a morte de 140 civis, segundo fontes afegãs. O Pentágono reconheceu que um dos aviões militares, aparentemente, errou o alvo a ser bombardeado. Porém, o centro de comando militar americano alega que o número de militantes mortos "superam em muito" o número de civis.

Coreia do Norte condena jornalistas dos EUA a 12 anos de trabalhos forçados

Euna Lee e Laura Ling foram presas quando faziam reportagem na fronteira
Um tribunal na Coreia do Norte condenou duas jornalistas americanas a 12 anos de trabalhos forçados, de acordo com a mídia local.
-
Euna Lee e Laura Ling foram consideradas culpadas de "atos hostis" e ingresso ilegal no país comunista.
-
Lee e Ling foram presas em março, depois de supostamente entrar na Coreia do Norte cruzando a fronteira chinesa.
-
As autoridades americanas disseram que estão "profundamente preocupadas" com a sentença e pediram a libertação das duas mulheres por razões humanitárias.
-
O julgamento foi realizado em um momento de crescente tensão por causa do programa nuclear da Coreia do Norte.
-
"O julgamento confirmou o crime grave que elas (as repórteres) cometeram contra a nação coreana e a entrada ilegal no país (...) elas foram condenadas, cada uma, a 12 anos de recuperação através do trabalho", disse a agência de notícias estatal KCNA.
-
A agência não deu mais detalhes.
-
Não foi permitido que observadores estrangeiros estivessem presentes na audiência judicial em Pyongyang.
-
Com o veredicto, as jornalistas podem passar anos em um dos campos de prisioneiros norte-coreanos, onde as condições de vida seriam extremamente duras, disse o correspondente da BBC na capital sul-coreana, Seul, Chris Hogg.
-
'Trunfos'
-
O Departamento de Estado americano disse, em nota: "Nós estamos profundamente preocupados com a notícia da condenação de duas jornalistas que são cidadãs americanas pelas autoridades norte-coreanas, e nós estamos engajados através de todos os canais possíveis em assegurar a libertação delas."
-
Euna Lee e Laura Ling foram presas por guardas norte-coreanos no dia 17 de março enquanto faziam uma reportagem na fronteira entre a China e a Coreia do Norte sobre refugiados para um o Current TV, um canal de TV de internet sediado na Califórnia.

Barack Obama volta aos EUA após viagem ao Oriente Médio e Europa


O presidente americano, Barack Obama, retornou a Washington neste domingo (7), depois de uma curta, porém importante, viagem pelo Oriente Médio e Europa.


O Air Force One aterrissou na base aérea Andrews às 14h51 (horário de Brasília). Minutos depois, Obama chegou à Casa Branca a bordo do helicóptero Marine One.

Sua viagem, marcada pela história e por uma intensa iniciativa diplomática, o levou a Arábia Saudita, Egito, Alemanha e França - onde, segundo assessores, o presidente americano pediu aos líderes da comunidade internacional que apóiem a retomada do processo de paz no Oriente Médio.

Turistas

Neste domingo, o presidente dos EUA e sua família aproveitaram o dia em Paris, após participar dos atos de comemoração do 65º aniversário do Dia D, para visitar a catedral de Notre Dame, como qualquer outro turista.

Obama, sua esposa, Michelle, e suas filhas, Sasha e Malia, passearam pela catedral, fechada ao público para a ocasião e rodeada de fortes medidas de segurança, durante uma hora, acompanhados do reitor de Notre Dame, monsenhor Patrick Jacquin.

Em seguida o presidente e sua família, em uma longa comitiva presidencial e aclamados várias vezes pelo público ao longo de seu percurso, se deslocaram a um restaurante de grande tradição em Paris nas cercanias da Torre Eiffel. A primeira-dama americana e suas filhas já visitaram a torre na sexta-feira à noite, após chegar à capital da França para acompanhar o presidente.

A primeira-dama, Sasha e Malia permanecerão ainda alguns dias mais na capital francesa para fazer turismo e fazer compras.

* Com AFP e Efe

Mundo: Quatro países árabes firmam acordo de união monetária


Quatro países do Conselho de Cooperação do Golfo - Arábia Saudita, Barein, Kwait e Qatar - assinaram neste domingo, em Riad, um acordo para criar uma união monetária. O plano prevê a criação de um conselho monetário, na capital saudita antes do final do ano, e a fundação do Banco Central do Golfo. Essas serão as etapas anteriores para o lançamento de uma moeda única, que deve entrar em circulação em 2010.

Obama pede 'esforço redobrado' para solução de dois Estados no Oriente Médio



Presidente falou em entrevista à imprensa durante visita a Alemanha. 'O momento é de agir', disse ele.

O presidente Barack Obama reforçou seu pedido para que haja um esforço redobrado na solução de dois Estados no Oriente Médio. O presidente americano falou nesta sexta-feira (5) em visita à Alemanha, um dia depois de um histórico discurso no Cairo.

"O momento é de agir", disse ele, apesar de insistir sobre as "escolhas difíceis" que deverão ser feitas tanto por árabes quanto por israelenses para chegar a uma solução para o conflito, em entrevista à imprensa comum com a chanceler alemã Angela Merkel.


Ele pediu a palestinos e a árabes que façam gestos na direção de Israel. Para Israel, ele pediu mais uma vez o fim da colonização dos territórios ocupados, lembrando que o Estado hebreu estava comprometido com isso. "Os EUA não podem forçar uma paz, mas podem criar uma atmosfera propícia a ela."

Mas ao mesmo tempo, ele disse que compreende as pressões políticas que vêm sendo exercidas sobre o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, para continuar a colonização.


ALERTA DE NOVO VIRUS SEMELHANTE A AIDS NA CHINA

Uma nova doença está a alastrar em grandes áreas da China. Os sintomas são semelhantes aos da AIDS, mas que se espalha mais rápido entre os membros da família, mesmo através de fluidos corporais como saliva.

Sr. Lin província de Yunnan peguei uma doença em Maio último, ao contrário de qualquer coisa que ele tinha visto antes.

[Sr. Lin, Yunnan Residente]:
"Esta doença destrói células de imunidade como AIDS. A menor quantidade de células de imunidade de alguns pacientes, é só 200, a minha é 400. O médico não podia encontrar muitos anticorpos, para que ele chamou-lhe" O medo da SIDA "doença".

Pesquisa preliminar mostra que os pacientes tenham sintomas de fadiga, diarréia crônica, inchaço dos gânglios linfáticos, e imunidade enfraquecida. Mas médicos não conseguem encontrar nenhum sinal do vírus HIV.

[Sr. Xue, Hunan Residente]:
"Um número enorme de pessoas peguei o nome do vírus, mas os médicos não podem fazer uma verificação minuciosa. Então eles fazem uma conclusão de que é um" Medo da AIDS "doença. Os sintomas são muito semelhantes as do SIDA."

Porque o Ministério da Saúde chinês não reconhece a doença, não foi realizado qualquer inquérito. No entanto, os pacientes se sentem muito chocado e triste quando eles vêem os seus familiares e amigos se tornam infectados por entrar em contato com sua saliva ou suor.

Barack Obama na Arábia Saudita

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, desembarcou nesta quarta-feira em Riad em sua primeira visita a Arábia Saudita, às vésperas de um aguardado discurso de reconciliação com os muçulmanos que deve fazer no Cairo. Reportagem da AFP.

Bin Laden quer que muçulmanos enfrentem aliados do Ocidente


O líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, afirmou que aliança com cristãos e judeus poderia anular a fé dos muçulmanos e os convocou a lutarem contra aliados dos "infiéis" em países muçulmanos.

As declarações de Bin Laden fazem parte de uma gravação, partes das quais foram divulgadas pela rede de televisão Al Jazeera, na quarta-feira. Os 25 minutos do áudio foram divulgados em um site islâmico nesta quinta-feira, dia que o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, discursou no Cairo se dirigindo a muçulmanos.

Coreia do Norte fará lançamento simultâneo de mísseis, diz Seul




Fontes do governo de Seul dizem que a Coreia do Norte prepara testes de mísseis de médio e longo alcance a partir de suas duas costas, informou nesta terça-feira a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

Conforme a Yonhap, um parlamentar relatou que Pyongyang transferiu um míssil de longo alcance para uma plataforma de lançamento no litoral oeste do país. Outras fontes teriam informado que ao menos três mísseis de médio alcance foram vistos na costa leste. Os três ou quatro projéteis localizados no leste poderiam ser modelos Rodong de médio alcance, já testados anteriormente pela Coreia do Norte.

Segundo o legislador disse à Yonhap, a Coreia do Norte poderia estar preparando o lançamento simultâneo dos projéteis.

Um oficial americano confirmou que um míssil balístico intercontinental capaz de atingir os Estados Unidos está sendo preparando em uma base na costa oeste.

Na Coreia do Sul, as tropas estão em alerta máximo, e um navio de alta velocidade, equipado com mísseis guiados, foi mandado à costa ocidental, onde Pyongyang fez exercícios anfíbios.

Em comunicado, a Marinha sul-coreana afirmou que o navio está preparado para "frustrar intenções provocativas navais da Coreia do Norte e destruir o inimigo em caso de provocações." Seul também enviou barcos da guarda costeira para escoltar embarcações de pesca nas proximidades da ilha ocidental de Yeonpyeong.

Depois da condenação internacional ao lançamento de um foguete de longo alcance, em abril passado, que a Coreia do Norte alegou ter sido realizado apenas para colocar um satélite em órbita, o país ameaçou testar a sua capacidade balística e advertiu sobre um segundo teste nuclear, que ocorreu em 25 de maio passado. Desde então, outros foguetes foram lançados.

O Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidos) analisa a possibilidade de adotar medidas punitivas às ações recentes de Pyongyang. No entanto, ainda há dúvidas sobre um consenso, já que os EUA e o Japão defendem novas sanções, enquanto a China e a Rússia têm sido mais moderadas.

Nesta terça-feira, o subsecretário de Estado americano, James Steinberg, afirmou que os EUA querem "ideias criativas". "Existem ideias muito criativas que estamos compartilhando com nossos parceiros", disse após reunião com o premiê japonês, Taro Aso, em Tóquio.

OMS diz estar mais perto de declarar pandemia de gripe suína


O contínuo avanço da gripe suína --a gripe A (H1N1)-- no Reino Unido, Espanha, Japão, Chile e Austrália deixaram o mundo mais próximo de uma pandemia (epidemia generalizada), disse Keiji Fukuda, o diretor-assistente da OMS (Organização Mundial de Saúde), nesta terça-feira. Segundo Fukuda, a OMS está próxima de elevar o grau de alerta mundial para a doença do atual grau 5 para o 6, último na escala da entidade.

Conforme um balanço da OMS, atualmente, há 18.965 casos confirmados da doença, dos quais 117 acabaram em morte, em 64 países. A maioria dos casos --e das mortes-- segue concentrada na América do Norte. No Brasil, conforme o Ministério da Saúde, há 21 casos confirmados e nenhuma morte.

"Há diversos países que parecem estar em uma transição de casos ligados a viagens para tipos de contágio mais estabelecidos. [...] Estão em transição, mas ainda não chegaram lá. Por isso, ainda não estamos no grau 6", disse Fukuda. O grau 5 foi declarado no último dia 29 de abril e, para a OMS, indica que a pandemia é "iminente".

Segundo o diretor-assistente da OMS, a situação agora é considerada "moderada", ao invés de "fraca", pois continua incerta a periculosidade do vírus --embora a maior parte dos casos seja leve e não exija internação, algumas infecções foram severas.

"O fato dos casos sérios e fatais se dividirem entre pessoas com problemas crônicos, mas também adultos que antes eram saudáveis, nos faz duvidar de que a situação seja 'leve'."

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório. Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos).

Com Reuters e Associated Press

Obama diz que EUA são um dos maiores países muçulmanos do mundo


colaboração para a Folha Online

O presidente Barack Obama afirmou que os Estados Unidos "são um dos maiores países muçulmanos do mundo" e pediu por um melhor diálogo entre o Ocidente e o Islã, em uma entrevista veiculada nesta terça-feira pela emissora francesa de TV Canal+.

"O que estou tentando fazer é abrir um diálogo para que o mundo muçulmano possa melhor compreender como os EUA e o mundo ocidental em geral, concebem alguns problemas difíceis, como o terrorismo ou a democracia", afirmou.

Por outro lado, segundo Obama, o Ocidente "também deveria conhecer melhor o Islã". "Acho que há um verdadeiro conflito atualmente entre os que dizem que o Islã é irreconciliável com a vida moderna e os que pensam que, ao contrário, o Islã sempre soube evoluir com o progresso", acrescentou.

A entrevista ao Canal+ foi transmitida antes da primeira viagem de Obama a um país muçulmano. Nesta quarta-feira (3), ele chegará a Arábia Saudita, onde vai se reunir com o rei Abdullah. Na quinta-feira (4), o presidente americano deve honrar no Cairo, Egito, uma de suas promessas de campanha e fazer um importante discurso destinado ao mundo muçulmano.

Desde que assumiu a Presidência, em janeiro, Obama tem pedido mais tolerância e diálogo entre os EUA e países muçulmanos. Essa relação ficou abalada com a "guerra ao terror" do ex-presidente George W. Bush (2001-2009), que foi encarada pelo mundo islâmico como perseguição.

Para melhorar a imagem na região, Obama tenta ainda reavivar o processo de paz entre palestinos e israelenses. A expectativa é de que ele fale sobre esse assunto durante o discurso no Egito, embora a Casa Branca já tenha informado que não há planos nesse sentido.

A viagem de Obama prevê ainda uma passagem pela Alemanha e, no sábado, ele deve participar na França, junto com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, das comemorações do chamado "Dia D", quando forças aliadas desembarcaram na Normandia durante a Segunda Guerra Mundial.

Ministério da Saúde eleva a 21 os infectados pela gripe


Rio de Janeiro, 1 jun (EFE).- O Ministério da Saúde confirmou hoje um novo caso da gripe suína no Brasil, o que eleva para 21 o número de contagiados no país, enquanto outras 21 ocorrências suspeitas são observadas.


A nova paciente foi infectada em Campinas (SP) por outro doente que tinha sido confirmado anteriormente e que contraiu o vírus AH1N1 no exterior, segundo um comunicado divulgado pelo ministério.


A vítima, que está internada e passa bem, trabalha em uma creche na qual tem contato com 30 crianças.


O ministério até agora descartou 369 possíveis casos da gripe que deram negativo nos exames de laboratório.


Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE

Maioria dos passageiros do Air France é de brasileiros


Voo AF 447, que saiu do Rio rumo a Paris, pode ter sido atingido por raio. O ministro francês de Transportes, Jean-Louis Borloo, disse nesta segunda-feira (1) que a maioria dos passageiros do avião da Air France que está desaparecido sobre o Oceano Atlântico é de brasileiros. A lista detalhada de passageiros do voo AF 447, que ia do Rio de Janeiro para Paris quando sumiu dos radares , não foi divulgada.

Segundo Borloo, além dos brasileiros, há entre 40 e 60 franceses e 20 alemães. Fontes da imprensa também citam seis dinamarqueses, cinco italianos, três marroquinos e dois libaneses, mas ainda não há confirmação oficial. O premiê britânico, Gordon Brown, disse temer que haja britânicos a bordo.

O voo AF 447, que levava 216 passageiros e 12 tripulantes, segundo a empresa, deveria ter pousado às 6h10 (horário de Brasília) no aeroporto Charles de Gaulle, em Paris. Anteriormente, a empresa havia informado sobre a presença de 15 tripulantes.

Entre os 216 passageiros, há um bebê, sete crianças, 82 mulheres e 126 homens. A companhia disse que a aeronave estava em uso desde 2005, tinha 18.870 horas de voo e passou por manutenção técnica pela última vez em 16 de abril.

O aviso teria sido mandado depois que o avião comercial, um Airbus 330-200, atravessou uma área de tempestade, em que enfrentou forte turbulência.

François Brousse, diretor de Comunicação da empresa, disse em Paris que a hipótese "mais provável" é que a aeronave tenha sido atingida por um raio.

O diretor-executivo da Air France, Pierre-Henri Gourgeon, disse que possivelmente se está "diante de uma catástrofe aérea".

O comandante, segundo a Air France, tinha 11 mil horas de voo. Os copilotos tinham 3 mil e 6,6 mil.

A Air France colocou à disposição de familiares um telefone que centraliza informações sobre o acidente:

A Air France repassou ao Bureau de Investigação e Análises para a Segurança de Aviação civil , organismo responsável na França pelas investigações técnicas sobre acidentes e incidentes da aviação civil, e para a Airbus, fabricante do avião, as informações que tem em seu poder sobre o desaparecimento.

Gripe A H1N1: Número de casos nos EUA atinge os 10 mil


01 de Junho de 2009, 20:28

Washington, 1 Jun (Lusa) - O número de pessoas afectadas com o vírus da gripe AH1N1 nos Estados Unidos atingiu este fim-de-semana os dez mil, elevando o número de mortos de 15 para 17, informaram hoje as autoridades de saúde americanas.

De acordo com um relatório do Centro de Prevenção e Controle de Doenças, no passado fim-de-semana foram detectados 1.078 novos casos da gripe A por todo o país, onde existem já 10.053 pessoas contagiadas.

Os estados americanos mais afectados pelo surto da Gripe A são o de Wisconsin(1.641 casos), Texas(1.403), Illinois(1103) e Califórnia(804).

Coreia do Norte prepara lançamento de míssil que pode atingir EUA

colaboração para a Folha Online

A Coreia do Norte está preparando um míssil, concebido para atingir os Estados Unidos, cujo lançamento poderia ocorrer em semanas, aumentando a tensão depois do segundo teste nuclear subterrâneo realizado pelo país, informaram jornais sul-coreanos nesta segunda-feira, citando fontes não identificadas do governo.

Veja galeria de imagens
Veja cronologia do programa nuclear da Coreia do Norte
Comunista, país surgiu em meio à Guerra Fria; saiba mais

Imagens de satélite e outros dados de inteligência sinalizaram nesta segunda-feira que o governo norte-coreano transportou seu mais avançado míssil de longa distância para a nova instalação de Dongchang-ni, próxima à China. Ele pode estar pronto para ser lançado nas próximas duas semanas, segundo relatou a agência de notícias sul-coreana Yonhap.

O jornal "JoongAng Ilbo", citando uma fonte do governo da Coreia do Sul, afirmou que pode se tratar de um míssil balístico intercontinental que pode atingir até 6.500 km de distância.

Assim, o Estado do Alasca e bases americanas na ilha de Guam, no Pacífico, além de todo o Japão, estariam ao alcance do míssil.

Em visita a Manila, nas Filipinas, o secretário de Defesa americano, Robert Gates, disse que, apesar de a Coreia do Norte estar trabalhando em seus mísseis de longo alcance, ainda não estavam claros os objetivos do país.

A atividade no campo de lançamento ocorre depois de o Conselho de Segurança da ONU ameaçar punir Pyongyang pelo teste nuclear de 25 de maio, e antes de um encontro em Washington entre o presidente da Coreia do Sul, Lee Myung-bak, e o americano, Barack Obama, em 16 de junho.

O presidente sul-coreano alertou, em sua mensagem semanal no rádio, que país "nunca irá tolerar" ameaças militares.

A guarda costeira do sul estava escoltando barcos pesqueiros nas proximidades da ilha de Yeonpyeong, e a agência de notícias sul-coreana Yonhap informou que tropas da Coreia do Norte realizaram manobras anfíbias e manobras rápidas, o que poderia ser uma preparação para confrontos no mar.

As Coreias encerraram a guerra de três anos em 1953 com uma trégua, mas Pyongyang disse na semana passada que deixará de cumprir as condições do armistício. O governo norte-coreano também contesta a fronteira marítima ocidental determinada pela ONU, ao redor da qual conflitos sangrentos com a Coreia do Sul ocorreram em 1999 e 2002.

Nenhum incidente foi reportado na Zona Desmilitarizada que separa os dois países, e a vida parece normal no lado norte-coreano do rio Yalu, que marca a fronteira do país com a China.

Em meio à tensão na península coreana, o governo da Coreia do Norte anunciou que na próxima quinta-feira (4) começará o julgamento de duas jornalistas americanas, Laura Ling e Euna Lee, acusadas de entrar no país ilegalmente e de participar de "atos hostis".

Aviso

As recentes ações da Coreia do Norte aconteceram após sinais de escalada da tensão enviados pelo regime comunista liderado por Kim Jong-Il.

No final de abril, Pyongyang ameaçou realizar testes nucleares e com mísseis de longo alcance ao menos que o Conselho de Segurança se desculpasse pelas críticas feitas pelo lançamento feito em 5 de abril, que teve o objetivo de colocar um satélite em órbita, segundo o governo norte-coreano, mas que foi considerado pelo governos ocidentais como um teste de míssil balístico --uma infração das sanções impostas ao país em 2006.

Na semana passada, o governo norte-coreano ameaçou tomar outras medidas de "autodefesa" se o Conselho de Segurança provocasse o país --a ameaça foi entendida como uma referência a um teste com um míssil intercontinental.

Ressaltando a ameaça, a Coreia do Norte designou uma grande área de sua costa ocidental como "não navegável" até o fim do próximo mês, de acordo com o jornal sul-coreano "Chosun Ilbo".

Por outro lado, a imprensa norte-coreana defende o posicionamento desafiador do país, que teria sido provocado pela Coreia do Sul e pelos EUA.

"Os imperialistas americanos e as marionetes da Coreia do Sul perpetraram ao menos 200 casos de espionagem aérea contra a República Democrática Popular da Coreia em maio, ou 30 casos a mais do que no mesmo mês do ano passado", escreveu a agência oficial de notícias norte-coreana KCNA.

Especialistas dizem que a capacidade militar da Coreia do Norte, apesar de estar aumentando, ainda não é uma ameaça direta aos seus vizinhos. Eles dizem que a principal preocupação é que o regime norte-coreano tente vender a tecnologia nuclear para outros países.

SERIE OS EVANGELICOS 4 JORNAL NACIONAL LUTERANOS


A atuação dos luteranos no Rio Grande do Sul
A principal característica da Igreja Luterana é acreditar que a salvação vem apenas pela fé e não como resultado de obras e boas ações. Mas isso não impede a forte ação social no sul do Brasil.
Nesta semana, o Jornal Nacional apresentou uma série especial de reportagens sobre a ação social de algumas das dezenas de igrejas evangélicas presentes no Brasil.

Nesta sexta, na reportagem que encerra a série, Flávio Fachel e William Torgano mostram a atuação dos luteranos no Rio Grande do Sul com descendentes de europeus, de negros, escravos e de índios guaranis.

Uma bênção que ecoa há 15 décadas numa região de pequenas propriedades em São Lourenço do Sul, a 200 quilômetros de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.



Veja todas as reportagens da série 'Os Evangélicos'.


Eles são descendentes dos pomeranos, povo agricultor que vivia da própria terra na Europa, na região onde agora é a Alemanha.

Hoje, a lavoura no Brasil multiplica sorrisos. Mas nem sempre foi assim. A mesma terra que hoje vê prosperidade já foi testemunha de um modo de produção que empurrou os descendentes dos imigrantes para uma situação de dependência.

Durante quatro gerações, eles plantaram para patrões, venderam para atravessadores, perderam a relação de liberdade que tinham com a terra.
Hoje, 150 anos depois, a fé que os acompanhou nos barcos das grandes travessias do Atlântico, e que nunca foi esquecida, conseguiu começar a mudar essa história.

Uma chegada cheia de esperança nas promessas de terra farta e de felicidade. Nas malas, carregavam o pouco que tinham. Nos corações, traziam uma fé incomum no Evangelho e na Igreja Luterana.

“As primeiras igrejas que chegaram ao Brasil são igrejas que vieram a partir de grupos étnicos que foram trazidos para ocupar o lugar dos escravos. Esses grupos trazem suas crenças, criam as suas comunidades e as igrejas começam a se desenvolver”, explicou Maria das Dores Machado, socióloga da UFRJ.

A Igreja Luterana surgiu no século XVI, na Europa. Chegou ao Brasil com os pomeranos em 1824. Hoje já são 1 milhão de fiéis em todo o país.

Sua principal característica é acreditar que a salvação vem apenas pela fé e não como resultado de obras e boas ações. Mas isso não impede a forte ação social da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Rio Grande do Sul.

“A missão desse serviço foi exatamente de resgatar essa fé e uma fé tem que se articular com a vida das pessoas que se concretiza no jeito de se relacionar com a natureza”, disse Ellemar Wojahn, coordenador da IECLB.

Com o Centro de Apoio ao Pequeno Agricultor, a igreja, de certa forma, devolveu aos fiéis a capacidade que os antepassados perderam: de sobreviver da terra sem depender de ninguém.

“Foi Deus que fez a natureza, foi Deus que fez em seis dias, no sétimo descansou e a deixou para nós para trabalhar e ganhar o nosso sustento”m afirmou o agricultor Romil Mühlenberg.

Seu Romil vive na terra que já foi de seu pai, do avô e do bisavô. Nunca abandonou a leitura da Bíblia. Na lavoura, o resultado do que está aprendendo com os irmãos luteranos: uma nova forma de produzir, sem agrotóxico. “Se não fosse a igreja, a gente não estava nessa da agroecologia”.

E a produção é vendida direto para o consumidor, na Feira dos Luteranos, no Centro de Pelotas.

Vantagem? O lucro de cada um não é dividido com mais ninguém. Mas o ganho maior para todos eles vem na esperança de ver a família continuar unida na fé e na terra dos antepassados.

“Agora eu sinto orgulho muito grande de estar na lavoura com meus filhos acompanhando. Eu acredito que daqui a 50 anos os meus netos estarão trabalhando aí”, projeta Seu Romil.

“A igreja tem essa pretensão de criar condições para que as famílias tenham possibilidade de ter renda e uma vida digna no meio rural”.

E ainda sobra para ajudar a quem precisa. Depois do culto, moradores pobres da região recebem cestas de alimentos doados pelos agricultores luteranos. “É uma sensação de que Deus está sempre com a gente apoiando, ajudando”, disse a desempregada Santa Janete Maia.

Estar com quem precisa. Os fiéis da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Rio Grande do Sul decidiram também estender a mão para mais gente que depende da terra no estado.

Descendentes de escravos, esquecidos nos quilombos, e os índios guaranis que, depois de perderem as terras, viraram mendigos de beira de estrada. Entre duas comunidades tão diferentes, muitas semelhanças.

“O Brasil tem uma dívida social e a igreja também tem uma dívida social com essas populações tradicionais que foram excluídas e marginalizadas que não têm lugar ainda hoje na sociedade”.

Preocupados com o mais básico – sobreviver – índios e quilombolas foram deixando os costumes para trás. Agora, os luteranos ajudam essas pessoas a se reencontrar com a própria cultura.

Estimulando os mais velhos a ensinar o que sabem aos mais novos. Assentados na reserva, os índios tiveram sorte. Podem agora ensinar às crianças guaranis que seu povo vive da terra. E que apesar do que sofreram com os brancos, continuam de braços abertos a quem quiser vir ajudar.

"Somos da tribo Tekoaporã e convidamos você a nos visitar", cantam os pequenos guaranis.

Uma lição de amor e solidariedade. “Jesus não perguntou se era difícil, onde estava, como é que era, que cor que tinha. Foi buscar e a gente tem que seguir esse exemplo, estar permanentemente nessa busca da ovelha perdida”, , declarou Rita Sorita, coordenadora da Igreja.

Na reportagem de quinta, nós mostramos o trabalho dos batistas com crianças que foram afastadas dos pais pela Justiça e também apresentamos o trecho de uma entrevista com a socióloga Maria das Dores Machado.

Ela observou que a doutrina pentecostal enfatiza a capacidade do indivíduo de desenvolver o dom do Espírito Santo. Só que nós mostramos esse trecho logo depois de explicar as origens da Igreja Batista e aí ficou parecendo que a Igreja Batista seria pentecostal.

Mas isso não é verdade. A socióloga se referia a outras igrejas. Os batistas têm origem na Inglaterra, no século XVII, valorizam o batismo na idade adulta e adotam princípios comuns ao protestantismo.

SERIE OS EVANGELICOS 3 JORNAL NACIONAL ADVENTISTAS E BATISTAS


Batistas e adventistas ajudam crianças pobres

Os Batistas são hoje no Brasil 1,5 milhão de fiéis, que frequentam cultos em 7,5 mil templos. Conheça a Associação Evangélica Resgate e Ame, que ajuda crianças de rua a ter um futuro.

O atendimento a crianças é o tema da série especial que o Jornal Nacional está mostrando essa semana sobre o trabalho social de algumas das muitas igrejas evangélicas do Brasil. Nesta quinta-feira, vamos conhecer a ação dos adventistas e dos batistas.

O que pode acontecer quando alguém decide, simplesmente, ajudar? Estender a mão para quem precisa.

Jovens demais para ter lembranças que só existem em sonhos. O da menina, esta noite, foi com a mãe, com quem não pode mais morar. “A mãe de verdade é bem melhor do que o sonho, porque ela é real. Não estou com ela porque a gente não se deu bem”, a menina conta.



Veja outras reportagens da série "Os Evangélicos"


Em uma rua especial, onde casas em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio, moram meninos e meninas que foram retirados da guarda dos pais por ordem da Justiça. Crianças que viviam largadas nas ruas, pedindo dinheiro nos sinais de trânsito, sofrendo todo o tipo de violência.

Para dezenas de crianças que pareciam não ter futuro, este é seu novo endereço: a Associação Evangélica Resgate e Ame, que poderia muito bem ser chamada de Rua da Esperança ou da Salvação.

Hoje, o abençoado pão de cada dia vem pelas mãos dos integrantes da Igreja Batista Brasileira, uma das várias igrejas que derivam da Igreja Batista, fundada no século XVII na Inglaterra.

Os Batistas são hoje no Brasil 1,5 milhão de fiéis, que frequentam cultos em 7,5 mil templos.

É uma grande família unida pela fé, que tem suas regras. Escola, todos os dias. Depois dos estudos, almoço, aulas de reforço, de música e de dança. Não tinham futuro, hoje sonham até com a universidade.

Simone é uma das poucas mães que aparecem por aqui. A filha dela sabe que a esperança de reunir a família de novo está no abrigo.

“Eu me mantendo aqui dentro. Vai ser melhor para ela, porque quando eu sair, eu vou ajudá-la, porque, se eu não ficar aqui, eu não vou ter futuro. Quero ser advogada, eu quero defender os direitos das pessoas”, revela Bruna Ferreira, de 13 anos.

A rua encantada construída com o cimento da fé no evangelho só existe graças à assistente social Gislaine Monteiro Freitas, coordenadora do REAME.

Vinda também de família muito pobre, começou dando atenção e carinho a crianças de rua em um banco de praça.

“Tudo começou de forma despretensiosa. Apenas uma rua, mas a coisa foi chegando e a gente conseguiu comprar uma rua para as crianças, uma rua sem sofrimento”, afirma Gislaine.

Em uma favela do Rio, seguidores do Evangelho viraram pescadores de crianças mergulhadas na vida violenta do bairro. A função do Centro Adventista de Desenvolvimento Comunitário é ensinar a palavra de Deus e fazer sorrir, por dentro e por fora.

A Igreja Adventista foi criada nos Estados Unidos no século XIX e tem hoje no Brasil 1,2 milhão de fiéis. Guardam o sábado para atividades religiosas e valorizam as coisas da natureza.

Alimento saudável, sem agrotóxico para as crianças, no segundo almoço do dia. Tem jeito de escola, mas o centro mais parece uma grande gincana, que começa aos 7 anos de idade e vai até os 15, com jogos, brincadeiras e música.

Resultado? “Esse lugar é muito gostoso de ficar”, diz uma das crianças.

“Mudou muita coisa em mim. Antigamente, eu não sabia contas na escola e depois que fui aprendendo aqui, estou na sétima série e indo em frente”, conta Vinícius, de 14 anos.

A transformação que acontece na vida de uma criança não é pequena. São mudanças no corpo e na alma. Há cinco anos, quando o projeto começou, a principal resposta para a pergunta ‘o que você quer ser quando crescer?’ era ‘bandido’.

Hoje, bom hoje. “Bombeiro”. “Trabalhar na Aeronáutica”. “Pediatra”. “Médico, para salvar as pessoas da dengue”.

O centro começou com uma sala pequena. Hoje, já são 180 vagas para uma comunidade com sede de oportunidade.

“Para muitos deles, se não fosse essa ação social religiosa evangélica, talvez não tivessem acesso a esses programas e serviços”, explica Gislaine.

Agora outras 500 crianças esperam por uma chance de crescer no rumo do bem, pelas mãos de quem vive na prática os ensinamentos de Jesus.

“No mundo de dimensões tão grandes, a gente vê que a gente pode proporcionar uma perspectiva de vida melhor para uma pessoa fazendo tão pouco. Elas têm certeza de que podem ser alguém melhor. Tem uma passagem em Apocalipse que diz o seguinte: não mais ranger de dentes, não mais pranto, nem dor. Aqui é lugar de gente feliz, lugar de sorrir, lugar de esperança”, conclui Glauciete da Cruz Batista, coordenadora do Centro Adventista.

SERIE OS EVANGELICOS 2 JORNAL NACIONAL METODISTAS



SP: metodistas salvam almas nos subterrâneos

No bairro da Liberdade, uma porta aberta para dentro de um viaduto se transformou numa saída, numa chance para quem não tem mais nada.
O Jornal Nacional está apresentando, nesta semana, uma série de reportagens sobre o trabalho social de igrejas evangélicas que atuam no Brasil. Nesta quarta, você vai conhecer o trabalho dos metodistas nos subterrâneos da nossa maior cidade.

Eles estão lá, mas pouca gente vê ou quer ver. Vidas estacionadas nas calçadas, presas no beco escuro da indiferença.

“A cidade trata como quem não tem mais chance. Eles olham e falam: ‘Aquele não tem mais jeito’”.

É um caminho que parece não ter volta. Viver na rua transforma a vida das pessoas por fora e também por dentro.

Sensações de raiva, angustia, fome, medo vão se multiplicando. A prefeitura de São Paulo estima que 12 mil pessoas vivam dessa forma, numa espécie de prisão a céu aberto, nas ruas da cidade.

Pois quis a ironia que justamente no bairro da Liberdade, uma porta aberta para dentro de um viaduto se transformasse numa saída, numa chance para quem não tem mais nada.
A escada leva para uma espécie de oásis urbano, repleto de desencontros. “Meu nome é Edileusa Maria de Lima”. “Sou aqui de São Paulo e quero que minha família venha me procurar”. “Estou procurando um primo meu de Minas Gerais”.

Uma chuveirada que revigora. Um tanque para lavar as roupas. Um ferro para passar. Um lugar para trocar a dureza do cimento pelo conforto de um travesseiro.

“Por enquanto, o meu endereço é o armário 59 e daqui a pouco pode ser uma outra coisa melhor. Esse barulho da rua é um terror”, disse o auxiliar de serviços gerais Paulo César Oliveira.

“Quando a pessoa está perdida, ela precisa de um gesto, de alguém que estenda a mão, que demonstre o amor de Cristo de forma prática. É essa fé que nos faz olhar para essa pessoa e entender que ele foi criado a imagem e semelhança de Deus. Se não fosse a fé, não estaríamos aqui”, declarou Marcos Antonio Garcia, pastor da Igreja Metodista.

Esta é fé dos evangélicos da Igreja Metodista, fundada em Londres, no século XVIII. Ela chegou ao Brasil em 1835 e hoje tem 341 mil fiéis. Os Metodistas são conhecidos por serem missionários, por considerarem que o mundo é a sua paróquia e por não perderem a esperança nas pessoas.

“A fé em ação transforma muita coisa, essa é uma crença de quem está nesses trabalhos e essa é uma crença importante porque acaba tendo uma interferência na vida dos indivíduos”, explicou a antropóloga Christina Vital da Cunha, do Instituto de Estudos da Religião.

Quem acreditaria no vigia Antônio José de Souza, afundado nas drogas, alcoólatra, abandonado pela família, mendigando nas ruas uma chance de sobreviver?

“Eu falei assim: ‘Eu posso entrar para tomar um copo de água?’. E ele carinhosamente abriu a porta. Nessa hora, o chão parece que se abre. Essa porta aqui foi o começo de uma vida”.

Antônio foi recebido no abrigo pelo ex-capitão Luiz Pereira de Souza. Condenado a 43 anos de cadeia por assassinato. Diz que conheceu a fé na prisão.

“Dia 15 de dezembro de 95 entrei em pânico e disse que não ficaria mais um dia. Eu lembro da data, porque nesse dia eu tive uma experiência com Deus, em que eu vi Jesus me abraçando e ali pude mudar a minha vida”.

Sem esperar, ganhou um indulto depois de cumprir 14 anos de pena.

“Quando eu vi o documento, estava lá: ex-sentenciado Luis Wilson Pereira de Souza está perdoado de todo o restante da sua pena, pode ir para casa. Nessa hora, desabei, comecei a chorar, e só falava uma coisa: ‘Deus é fiel, Deus é fiel, Deus é fiel’”.

De ex-detento, o antigo capitão passou a ser salvador de almas. Luis deu a Antônio o conforto e a chance de que ele precisava. Mudança iluminada: do esquecimento das ruas para uma vida intensa.

Neste mesmo templo, o ex-mendigo se casou com Tereza, também moradora de rua. Tiveram uma filha, conseguiu trabalho e uma vaga no hotel social da prefeitura. A improvável família sabe exatamente que nome dar para o que lhes aconteceu. “Nós três aqui somos um milagre”, afirmou Antônio.

São 38 anos vivendo na rua. Bastaram três conhecendo a compaixão dos metodistas para que Antônio e Tereza recuperassem a dignidade.

“Eu cheguei a dormir na 23 de maio, naqueles buracos que tem na 23. Hoje, eu moro na Brigadeiro Luis Antonio, Bela Vista”.

Nesta quinta, a gente vai mostrar o trabalho dos batistas e dos adventistas com crianças do Rio de Janeiro.

SERIE OS EVANGELICOS1 JORNAL NACIONAL ASSEMBLEIA DE DEUS


O Jornal Nacional vai apresentar, a partir desta terça-feira, uma série de reportagens sobre obras sociais de algumas das dezenas de igrejas evangélicas presentes no Brasil.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), enquanto a população brasileira cresceu 15,5% entre os dois últimos censos, o número de evangélicos dobrou. Hoje, são cerca de 15% dos brasileiros. Como a maioria católica inclui 73% da população, as obras da Igreja Católica são mais conhecidas.

Nesta semana, nós vamos ver o trabalho que os evangélicos estão fazendo não só em cidades grandes como o Rio de Janeiro, mas também em comunidades menores, do interior do país, apoiando populações que frequentemente são esquecidas pelo poder público.

A harmonia dos sons vale por uma prece.

“O instrumento, a música e o canto têm uma ligação muito íntima com Deus”, afirma o músico Gilberto Oliveira.

Diante da orquestra em um templo da Assembleia de Deus, como ficar de braços cruzados? A Assembleia de Deus é uma igreja brasileira, criada no início do século 20 em Belém do Pará, que tem hoje 8,4 milhões de fiéis espalhados pelo país.


São evangélicos de ramo pentecostal, que acreditam no poder do Espírito Santo e usa a música como oração. Música cheia de fervor.

A Sinfonia da Fé tem origem em um projeto que ajuda crianças, jovens e adultos. Gilberto achava que seria técnico em química. Hoje, toca no culto e também na Orquestra Municipal do Rio de Janeiro.

“Quando a gente está fazendo música, a gente já sente na pele. Às vezes, a gente fica arrepiado. Quando a gente faz a coisa para Deus e dá aquele arrepio, Meu Deus do céu. Esse, Deus recebeu”, explica o músico.


Nas oficinas da igreja, ele se descobriu como músico de talento. Uma atividade mantida com uma parte do dízimo, das doações que vem dos fiéis.

“As pessoas costumam ouvir que a igreja só existe para pegar dinheiro do povo, para enganá-lo. Os pastores são tidos como charlatões, pegadores de dinheiro. Mas ninguém vê os acontecimentos sociais que a igreja promove”, afirma Nelson dos Anjos, pastor da Assembleia de Deus.

A origem das igrejas evangélicas está no distante Século 16, na decisão de homens como o monge Martinho Lutero e o teólogo João Calvino, em romper com a Igreja Católica.

O primeiro por não concordar com o pagamento das indulgências, a possibilidade que existia, na época, de comprar o perdão divino. O segundo por querer uma grande reforma na organização dos ritos católicos.

O movimento é conhecido como Protestantismo, de onde derivam a imensa maioria dos evangélicos de hoje.

“Com o Lutero, você vai ter toda uma nova teologia muito calcada na interpretação, na leitura da Bíblia. Você tem que assumir para você que está tudo ali na Bíblia. As suas orientações estão na Bíblia para a sua vida”, declara a socióloga Maria das Dores Machado.

E está lá escrito: a missão dos cristãos é divulgar a palavra de Deus mundo afora. Os presbiterianos foram para Dourados, no Mato Grosso do Sul, em 1928, para levar o Evangelho, com autorização da Funai, para a maior aldeia do Brasil.

A Igreja Presbiteriana tem origem no Século 16, está no Brasil desde 1859 e tem hoje 980 mil fiéis. É conhecida por reforçar os valores éticos e morais. Na missão Caiuá, um hospital só para eles. Também uma escola, com ênfase evangélica.

Em meio à disputa por terras na região que já dura décadas, o preconceito afastou brancos e índios e dividiu a tribo. Hoje, são dois caciques e nenhum pajé, o líder espiritual. O último morreu há cinco anos. Os chocalhos sagrados dos rituais criaram teias de aranha.

Agora, as doenças são tratadas só no hospital da missão. Na cidade, os índios ainda não são bem recebidos.

“A discriminação e o preconceito são muito fortes”, afirma uma índia.

Na escola indígena, os mais velhos tentam não deixar a cultura morrer. Na escola da missão, as aulas dos brancos funcionam como reforço, como ferramenta para entender e transitar no mundo dos brancos.

“Quando você pode ensinar uma criancinha que está ao seu lado, quando você pode curar a ferida de alguém está sofrendo no hospital. Todos esses gestos não são simplesmente de um profissional que está fazendo, mas alguém que tem o ideal de servir e que gostaria, através daquele gesto, alcançar a grandeza e o amor de Deus no seu coração”, afirma Benjamim Bernardes, reverendo da Igreja Presbiteriana.

O reverendo Benjamim sabe que, para tudo isso dar certo, uma barreira tem que cair. Afinal, são evangélicos americanos, de língua inglesa, no Brasil da língua portuguesa, trabalhando com índios que falam o caiuá.

Um dos maiores desafios dos missionários foi tentar entender a língua dos índios para poder falar de igual para igual com eles. Mas os religiosos foram além. Conseguiram registrar pela primeira vez, por escrito, a gramática da língua kaiwá.
Ainda produziram um livro. De texto estranho, sagrado. É a Bíblia feita para os índios e escrita na língua deles.

“Deus me chamou para isso”, conta a missionária inglesa Audrey Taylor.

É o trabalho de uma vida. Audrey começou decifrando gestos e ruídos. Agora, divulga o Evangelho sem precisar de tradução simultânea.

“Eles têm mais valor do que eles pensavam que tinham. A língua está escrita e Deus falou com eles através da Bíblia, na própria língua”, esclarece Audrey.

“Eu gostei da parte onde diz que Deus não quer que nenhum dos pequeninos se perca. Assim como ele amou a ovelha perdida, ele ama a todos igualmente. A missão trouxe uma nova realidade para uma comunidade indígena, uma outra vida”, revela o índio caiuá Natanael Cárceres.

Ensinar, aprender, proteger e ajudar. Na missão evangélica encravada no cerrado, são os próprios índios os primeiros a reconhecer:

“Foi Deus que mandou a missão, tanto os caciques, os rezadores falam disso também. Se não fosse Deus, o caiuá estaria reduzido, muito reduzido, porque nós íamos morrer tudo", avalia a índia caiuá Valdelice Veron.

“Todos nós podemos fazer algo, por mais simples que seja, desde que haja no nosso coração o desejo sincero de poder servir ao próximo”, conclui Benjamim Bernardes.

Na quarta-feira, você vai ver como a vida de moradores de rua está se transformando por causa do trabalho dos metodistas, em um viaduto de São Paulo.

Contador de acessos
Download Windows Live Messenger Windows Live Messenger

Arquivo do blog

CONFIRA MUITO MAIS

FIQUE POR DENTRO SAIBA MAIS

Recent Post

Archive

      Labels

      Seguidores